Início > Notícias do Consulado
INSERÇÃO INTERNACIONAL DA PARAÍBA E AS RELAÇÕES PARAÍBA-CHINA
2020/09/08

João Azevedo – Governador do Estado da Paraíba

Lígia Feliciano – Vice-Governadora do Estado da Paraíba

Rômulo S. Polari F. – Diretor Presidente – CINEP

A República Popular da China tem-se tornado um ator cada vez mais relevante no cenário global. Alguns se referem ao século XXI como o século da China, assim como o anterior foi protagonizado pelos Estados Unidos. O país é importante fonte de investimentos e o principal parceiro comercial brasileiro. A parceria entre Brasil e China possui elevado grau de institucionalização em decorrência dos diversos temas de interesses mútuos e é entendida por especialistas em assuntos internacionais como uma parceria estratégica global, caracterizada por um aprofundamento de discussões em três grandes áreas: político-diplomática, econômica-comercial e científica-tecnológica.

Conhecida na área de Relações Internacionais como diplomacia federativa ou paradiplomacia, a atuação internacional de entes subnacionais, como estados e municípios é um fenômeno crescente, o que o tornou objeto de pesquisas no meio acadêmico e impulsionou a institucionalização e profissionalização dessa atividade no âmbito das administrações estaduais e municipais.

Na Paraíba, o volume de projetos de cooperação técnica e as políticas de desenvolvimento encampadas pelo Estado, em grande medida centradas em agendas internacionais, como a Agenda 2030 da ONU, criam uma demanda por políticas de inserção internacional, voltadas para o desenvolvimento regional.

Portanto, a formulação de políticas de inserção internacional da Paraíba privilegia a cooperação internacional para o desenvolvimento, por meio do estabelecimento de parcerias em áreas estratégicas como cultura, ciência e tecnologia, pavimentando, assim, o caminho para o estabelecimento de relações comerciais e da atração de investimentos produtivos para o estado.

É sob esse prisma que devemos considerar as relações entre a Paraíba e a China.

No campo da ciência e tecnologia também há vastas possibilidades para o estabelecimento de cooperação com a China. As universidades paraibanas contam com polos de pesquisa de excelência, que reúnem todas as condições para a troca de expertise com contrapartes chinesas.

Nesse sentido, é válido destacar a visita, em abril de 2019, de empresários chineses ao Centro de Tecnologia da Universidade Federal da Paraíba e ao Instituto Federal da Paraíba (IFPB), acompanhados pelo secretário estadual de turismo e desenvolvimento econômico e pelo presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (CINEP). A vinda da comitiva chinesa também ocorreu na esteira do protocolo de intenções firmado entre o governo e as empresas chinesas acerca do estaleiro de reparos navais em Lucena. A parceria com os pesquisadores da UFPB pode gerar subsídios para novas pesquisas, estágios e intercâmbios no campo da tecnologia e da inovação.

Para dar continuidade e sistematização a esse trabalho, o governo conta, desde 2019, com o suporte institucional especializado da CINEP, que dispõe de umdepartamento específico para atração de investimentos e de uma assessoria internacional. O primeiro conduz as tratativas com investidores internacionais que chegarem ao estado por meio da Companhia, enquanto a assessoria internacional presta ao governo do estado o suporte profissional especializado necessário à formulação e condução de sua agenda internacional. Vale observar que a Paraíba conta, ainda, com a produção de conhecimento especializado e de formação profissional de alta qualidade na área de Relações Internacionais, no nível de graduação e pós-graduação, tanto na universidade estadual como na federal. O curso de Relações Internacionais da UEPB, criado em 2006, é pioneiro entre as universidades públicas do Nordeste e Norte do Brasil.

Ainda em termos de institucionalização da atividade internacional, no âmbito do Poder Legislativo, a Assembleia da Paraíba (ALPB) instalou a Frente Parlamentar Paraíba-China, como vistas a fomentar e facilitar a consolidação de parcerias com o país asiático.

Os esforços aqui mencionados têm o objetivo comum de alçar a Paraíba a um outro patamar no cenário internacional. Adjacente a todos eles, está a ideia de isso é possível, com base numa diplomacia federativa ativa, profissionalizada, voltada para o estabelecimento de relações de cooperação mútua e sustentáveis não apenas com a China, mas com outros parceiros internacionais, com o intuito de promover o desenvolvimento do nosso estado em todas as suas dimensões.

• Missão Paraíba – China

Lígia Feliciano – Vice-governadora da Paraíba

A China é um parceiro estratégico para o Nordeste. A Paraíba ressalta esta parceria. De 2010 a junho de 2020, o volume de comércio entre o País e o nosso Estado superou US$ 1,4 bilhão. Na pauta de exportação para aquele País , vendemos calçados, fios têxteis, minérios e concentrados dos metais de base, frutas e sucos, entre outros produtos. O Estado quer estreitar as relações para tornar mais amplo o volume de negócios.

Em julho de 2019, por delegação do governador João Azevêdo, liderei uma comitiva de paraibanos, em visita de oito dias à China. Participaram da delegação integrantes do governo como o secretário do Turismo e Desenvolvimento Econômico, Gustavo Feliciano, o diretor-presidente da Companhia de Desenvolvimento da Paraíba (Cinep), Rômulo Polari Filho, a presidente da Companhia Docas da Paraíba (Docas-PB), Gilmara Temóteo, o deputado estadual Melchior Batista, além do secretário de Desenvolvimento, Indústria e Comércio de Lucena, José Maria Pereira, e o presidente do Sindicato Sucroalcooleiro da Paraíba, Edmundo Coelho.

Em Pequim, a delegação se reuniu na Embaixada do Brasil na China, no escritório da Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex) e na China General Nuclear Power Corporation (CGN), empresa que atua na área de energia, por todo o mundo.

Na cidade de Zhoushan, estivemos no estaleiro IMCYY, considerado o maior operador de reparos de navios do mundo. Na ocasião, me reuni com o presidente da empresa, Mr. Chen e discutimos o protocolo Brasil-China com vistas à implantação do estaleiro de reparos em Lucena com perspectiva de injetar R$ 3,5 bilhões na economia do estado durante a construção e gerar seis mil empregos. Conversamos também sobre disponibilidade de mão-de-obra qualificada e equipamentos para o estaleiro que a ser instalado na Paraíba. a implantação do estaleiro vai transformar a realidade dos municípios diretamente beneficiados e de toda a Paraíba.

A comitiva participou de várias reuniões e rodada de negócios com o objetivo de atrair investimentos de empresas chinesas nas áreas de pesquisa, energias renováveis, turismo, pesca, agricultura e infraestrutura para o estado. A visita foi encerrada na cidade de Hangzhou, em uma reunião que participei com demais membros do grupo com o vice-governador da Província de Zhejiang, ZhuCongjiu.

Foram oito dias de muito trabalho para trazer boas repostas para os paraibanos. Toda a comitiva da missão Paraíba-China esteve empenhada em levar as potencialidades do nosso estado por cada canto que passamos. A experiência da visita ao País foi muito importante e alcançado o objetivo de cumprir uma das etapas do protocolo de intenções que foi firmado entre o Governo do Estado e as empresas. E não temos dúvidas de que a implantação do estaleiro vai transformar a realidade dos municípios diretamente beneficiados e de toda a Paraíba.

É válido destacar que em 2019, fui recebida pela Cônsul-geral da China em Recife, Yan Yuqing, onde conversamos sobre as parcerias já existentes entre o país e a Paraíba. Também participaram do encontro o cônsul-geral adjunto da China no Recife, Shang Siyuan, e o cônsul comercial, ShaoWeitong.

A Cônsul-geral da China em Recife, Yan Yuqing, manifestou também a disposição de realizar um encontro entre empresários e investidores chineses para discutir também parcerias econômicas.

Após a pandemia da Covid-19, vamos dar continuidade aos seminários e reuniões, entre a Paraíba e a China. O povo paraibano, nordestino, brasileiro é amigo do povo chinês.

Nesse mês, quando os dois países completam 46 anos de relação diplomáticas, ressaltamos que foi um período significativo e não tenho dúvidas que o relacionamento vai ficar cada vez mais forte. Reitero que a sólida amizade Brasil-China é leal e confiável, não refletindo apenas na área comercial, mas também na política, cultura e educação. E tem como base os ensinamentos do filósofo chinês Confúcio: “ Coloque a lealdade e a confiança acima de qualquer coisa”.

 

Suggest to a friend:   
Print