Início > Notícias do Consulado
Dedicar-se a servir de impulsionador da Cooperação Sino-brasileira
2020/09/08

Por: Zhang Xin, Secretário-geral da Associação Brasileira de Empresas Chinesas (ABEC)

A Associação Brasileira de Empresas Chinesas (ABEC), nasceu na onda de desenvolvimento vigoroso da cooperação econômica e comercial entre a China e o Brasil. Desde a fundação, a ABEC tem recebido apoioforte das empresas chinesas. Atualmente 31 empresas dos seus associados são de Fortune Global 500 e a sua influência continua a aumentar. Também estabelecemos sucessivamente seis comitês profissionais, incluindo o de finanças, de manufatura, de energia, de transporte e infraestrutura, de agricultura e de tecnologia da informação, que fornecem um bom fundamento para o desenvolvimento da cooperação industrial e o fortalecimento da autogestão dos setores.

Corremos no caminho da cooperação sino-brasileira. A China mantém-se como o maior parceiro comercial do Brasil há onze anos consecutivos. O volume de comércio bilateral de 2019 ultrapassou US$ 115,3 bilhões. Tambémé uma das principais fontes de investimento estrangeiro no país. O estoque acumulado do investimento no Brasil chegou a US$ 80 bilhões. Diante da boa base da cooperação, comunicamo-nos com o governo, os estados, os municípios e as empresas brasileiras para estabelecer uma boa imagem de investimento chinês e de Made in China e criar ativamente um ambiente público favorável à amizade sino-brasileira. Organizamos várias atividades econômicas e comerciais e visitas de negócios para promover intercâmbio e cooperação aprofundadas entre comunidade industrial e comercial dos dois lados e ajudar as empresas chinesas a receber oportunamente informações de negócios e descobrir mais oportunidades de investimento. Coletamos informações e acompanhamos o progresso das reformas no Brasil de modo que as empresas chinesas possam conhecer o ambiente de negócios e evitar riscos de mercado. Além disso, tentamos oferecer serviços jurídicos, como arbitragem e mediação para ajudar as empresas a resolver disputas. Acreditamos firmemente que a estrada da cooperação sino-brasileira será capaz de ficar cada vez mais ampla.

Praticamos ativamente a responsabilidade social. Desde o início deste ano, o surto de coronavírus ocorreu nos vários países do mundo, ameaçando a segurança de saúde pública global e saúde das pessoas, causando consequências negativas, como recessão econômica e interrupção da cadeia de suprimentos. A ABEC solidário ao povo brasileiro e uniu os associados a assumirem a responsabilidade social. Até meados de julho, foram doados mais de R$ 15 milhões de materiais, que incluem ventiladores pulmonares, monitores, macacões de proteção, máscaras e outros equipamentos e materiais de saúde urgentes. Além disso, providenciamos a tradução do Manual de Prevenção e Controle da Covid-19, organizando vários webinars que introduzem para o Brasil as experiências da China em relação à prevenção, controle da pandemia e retomada da produção com os gestores das empresas chinesas de energia,telecomunicações, finanças,água e saneamento, entre outros, estando firmes nos seus postos de comando para garantir o funcionamento normal durante a pandemia dando importantes contribuições no combate à pandemia no Brasil.

Estamos firmemente otimistas sobre as perspectivas econômicas do Brasil. Embora a pandemia tenha um grande impacto no Brasil, os recursos naturais abundantes e um enorme potencial de desenvolvimento do Brasil não mudaram a determinação do governo brasileiro de acelerar reformas econômicas. Recentemente, realizamos webinars com Ministério da Infraestrutura e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para apresentar os projetos de concessões de infraestrutura e os projetos de privatização, ajudando as empresas chinesas a planejar negóciosno mercado brasileiro do período pós-pandemia, e também mostramos a nossa confiança nas perspectivas econômicas do Brasil.Estamos dispostos a continuar trabalhando estreitamente com o governo brasileiro para apresentar as sugestões sobre aperfeiçoamento do ambiente de negócios, a fim de apoiar e elevar a competitividadeda economia brasileira.

Dedicamo-nos a promover o aprofundamento da cooperação internacional donordeste do Brasil. A região nordeste possui vantagens de localização, recursos naturais abundantes, energia renovável, povo caloroso e amigável, além depotencial de desenvolvimentoeconômico, ocupando uma posição importante no mapa político e econômico do Brasil. O investimento das empresas chinesas no nordeste, como no setor de porto, de energia, de agricultura, de tecnologia da informação e outros está aumentando. Realizamos o evento de apresentação dos projetos de infraestrutura de Pernambucocom os nossos parceiros brasileiros e organizamos as empresas chinesas para visitar Maranhão, Norte do Rio Grande e Alagoas com a Cônsul Geraldo Consulado-Geral da República Popular da China em Recife. Estamos dispostos a dar continuidade no desenvolvimento e a revitalização do nordeste com a cooperação pragmática entre a China e o Brasil, buscando o maior divisor comum e organizaremos lançamento de projetos, matchmaking de empresas, visita de negócios e mais outras atividades com os estados do nordeste, para ajudar mais empresas chinesas a conhecerem e investirem no nordeste, encontrando as melhores oportunidades de negócios.

Por ocasião do Dia Nacional da Imigração Chinesa e do aniversário do estabelecimento das relações diplomáticas China-Brasil, estamos dispostos a buscar o consenso entre osdois Chefes de Estado, superando o impacto da pandemia, criar novas oportunidades no processo de retomada econômica e da produção no Brasil e abrir o novo capítulo da cooperação entre a China e o Brasil.

Suggest to a friend:   
Print