Início > Notícias do Consulado
A Cooperação Estratégica e a Amizade Sino-Brasileira
2020/09/08

José Marcelo Braga Nascimento,Chairman do LIDE China

Everton Gabriel Monezzi,Vice-Chairman do LIDE China

José Ricardo dos Santos Luz Júnior,CEO do LIDE China

O Brasil foi o primeiro país da América Latina a desenvolver comércio bilateral com a Chinaemnívelacima de USD 100 bilhões. Após o estabelecimento das relações diplomáticas em 1974, Brasil e China elevaram as relaçõesaonível de parceria estratégica global em 2012 e o gigante asiático é o maiorparceiro comercial do Brasil desde 2009.

Vale dizer que a China e o Brasil sãointerdependentes e podem se beneficiar substancialmente dessarelaçãoganha-ganha, vez que essarelaçãosul-sul é vista por ambos os países como umarelação estratégica de longo prazo, pacífica e sem histórico de guerras, sendo nítida a intensificação do comércio, o aumento do fluxo de investimentos, a promoção de parceria concreta e a efetivaintegração para atingirem resultados mutuamente positivos, tanto que foiconstituída a Comissão Sino-Brasileira de Alto Nível de Concertação e Cooperação (COSBAN) em 2004 como mecanismo de diálogo político regular entre os dois países e foi firmado o Plano Decenal de Cooperação e do Diálogo Estratégico Global (2012-2021), como objetivo de assinalar as áreas prioritárias e os projetos-chave emciência, tecnologia e inovação, cooperaçãoeconômica e intercâmbio entre os povos sino-brasileiros.

Nesse sentido, é importante ressaltar que o Plano Decenal de Cooperação Brasil-China (2022-2031) émaisumaoportunidadepara explorar o arcabouço institucional sino-brasileiro e um momento singular para se debater acerca da implementação de projetos simbólicos, como por exemplo a ferroviabioceânica para interligar a malhaferroviária entre Brasil e Peru, pois é indiscutível o peso muitomaior da Ásia e especialmente da China nos fluxos de comércio, investimentos e tecnologiasmundiais e o Brasil precisa adotaressavisão global e estratégica para o desenvolvimento doméstico interno.

Semprejuízo, Brasil e China podemaindaestabelecerumacordo de livrecomércio, bem como têmumaoportunidade de estreitaraindamais os laçoseconômicos e comerciaisatravés da adesão do Brasil à política de Cinturão e Rota estabelecida pelo Governo do Presidente Xi Jinpingem 2013, com o principal objetivo de conectar a China aosseusparceiros por meio do desenvolvimento das frentes de infraestrutura, tecnologia e saúde.

É inquestionável a possibilidade da China desenvolver e aprofundar a relaçãocom o Brasil no momento pós-pandemia nas áreas agrícola, energialimpa, mineração, infraestrutura, comércioeletrônico, manufatura inteligente e telecomunicação, especialmente comênfase natecnologia 5G. O Brasil játemcooperação pragmática na área de commoditiescomo soja, minério de ferro, petróleo, celulose e proteína animal, além do comércioeletrônico, mas poderá intensificar a parceria de investimento com a China na área de alta tecnología, principalmente no contexto da indústria 4.0, através da revolução dos meios de produçãocom o desenvolvimento do machine learning, internet das coisas e o big data.

Dados os recentesdesafiosao multilateralismo, a necessidade de reforma da governança mundial, dada a nova arquitetura global na era da quartarevolução industrial, a cooperação pragmática sino-brasileira deve superar as ideologias e respeitar os diferentes sistemas sociais, buscando sempre o caminho de desenvolvimento e coexistência pacíficos, como objetivo de construirmos juntos a ponte econômica, política e social sino-brasileira.

Consoante inclusive enfatizado na última reunião das duassessõeschinesasemmaio de 2020, constituídas pela Assembleia Popular Nacional e pela Conferência Consultiva Política do PovoChinês – cruciaisreuniõesem que são transmitidas as informações sobre o desenvolvimentoeconômico e social da China, bem como as metas e prioridades do país, o mundo vive numaaldeia global e é hora de superarmosem conjunto as diferenças para promovermos a construção de futuro compartilhadocom toda a humanidade.

O LIDE China espera que a data de 15 de agostosejasemprecomemorada para relembrarmos a importância do estabelecimento das relações diplomáticas entre China e Brasil, como também o Dia da ImigraçãoChinesa.“Transportaiumpunhado de terra todos os dias e fareisumamontanha” (Confúcio).

 

Suggest to a friend:   
Print